meta de inflação

O CMN - Conselho Monetário Nacional - fixa periodicamente a taxa básica da meta de inflação e o intervalo de variação admitido pela estratégia governamental.

enfin. Em caso de descumprimento dessas metas, compete ao Banco Central justificar a ocorrência por escrito, descrevendo em detalhes as causas e as providências tomadas para assegurar a correção de rumos para manter a inflação dentro da meta estabelecida, e o prazo em que essa correção se dará. 

A diferença entre o topo e o fundo da meta de inflação - chamada de intervalo de variação - é função de algumas variáveis fundamentais. 

A volatilidade de diferentes mercados é uma delas.

Oscilações nos mercados cambiais, nos preços de commodities agrícolas e nas cotações internacionais de petróleo são fatores que determinam a amplitude desse intervalo de variação.

No caso brasileiro, a autoridade monetária pode aumentar o intervalo de variação da meta de inflação porque não expurga nenhum tipo de preço no índice de referência ( o IPCA, calculado pelo IBGE nas principais regiões metropolitanas).

Cabe ainda mencionar que uma variável fundamental da meta de inflação reside no comportamento dos preços.

Enquanto os preços livres podem ser contidos pela administração da taxa de juros, os preços administrados são de controle mais difícil, e suscetíveis a choques externos, como o repasse da variação cambial, alteração nos preços internacionais etc.

Em alguns países, é prática comum expurgar preços muito voláteis dos indicadores de inflação.

Por seu lado, a fixação de taxas de juros pelo COPOM, que ocorre em reuniões mensais, não altera de imediato o quadro geral da economia, porque os efeitos de determinado patamar de juros podem aparecer apenas depois de quatro a seis meses, dependendo do setor econômico sobre o qual o custo do dinheiro atua.

Gostou dessa explicação?

Sim
Não