especulação

  1. Operação comercial intentada com objetivo de obter justo lucro
  2. estratégia de operação em mercados onde há cotação de ativos e valores mobiliários, atividade necessária nos mercados de instrumentos financeiros, commodities, títulos e valores mobiliários, caracterizada pela compra e venda de posições a fim de obter lucro elevado a curto prazo, em função das oscilações nas cotações
  3. ato de assumir um risco de negócio considerável, suficiente para afetar a decisão do especulador, a fim de obter um ganho proporcional (lucro positivo esperado acima da taxa de juros livre de risco).

Difere da aposta porque é realizada - apesar do risco envolvido - quando o indivíduo percebe uma troca risco-retorno favorável.

Transformar um jogo num processo especulativo requer um prêmio de risco adequado por parte do investidor avesso ao risco

Operadores em busca de cobertura de riscos realizam um tipo de operação (hedge), que busca transferir os riscos a terceiros, ocasionando oscilações no preço e volume de negociações.
Estas oscilações estimulam a especulação.

Como regra geral, a atividade de especular não injeta novos riscos nesses mercados, além daqueles já existentes.

Porém, se a atividade especulativa for dominante num determinado mercado e por um longo período de tempo, ela pode introduzir novos riscos.

Gostou dessa explicação?

Sim
Não