credit default swap - CDS

troca de padrão de crédito

Contrato bilateral que permite comprar proteção para crédito específico contra evento de não pagamento pelo emissor de determinado ativo. 

 Trata-se de um instrumento financeiro geralmente negociado por investidores no mercado de renda fixa para fazer especulação ou fazer uma espécie de seguro caso uma empresa ou país não pague sua dívida. Representa uma forma de papel negociado no mercado financeiro para o chamado risco de crédito. 

Através dele, pode-se transferir a exposição ao risco de determinados produtos de responsabilidade de uma terceira parte entre outras duas partes.

A parte compradora do swap recebe proteção de crédito, ao passo que a parte vendedora garante a boa liquidação da obrigação.

Desta forma, o risco de default é transferido do emitente do título para o vendedor do contrato de swap.

Este, por sua vez, é remunerado pelo comprador da proteção.

Exemplo

empresa A emite um título de crédito, e negocia esse título no mercado.O investidor B compra do investidor C uma garantia suplementar, o CDS.

Assim, se a empresa A não liquida a obrigação, o investidor C compra o título de B, e assume sua liquidação.

Por essa garantia, B paga uma remuneração a C.

enfin. As operações que envolvem swaps de default de crédito são transações liquidadas nos mercados de balcão, sem registro eletrônico para custódia, compensação e liquidação numa bolsa ou numa clearing house.

Em abril de 2007, a International Swaps and Derivatives Association (ISDA) avaliava o mercado de derivativos de crédito em US$ 35 trilhões.

Já o BIS - Bank for International Settlements avaliava em junho de 2007 que apenas as operações com CDSs teriam crescido de US$ 13,9 trilhões em dezembro de 2005 para US$ 28,9 trilhões em dezembro de 2006, US$ 42,6 trilhões em junho de 2007, atingindo US$ 62,2 trilhões em dezembro de 2007.

Em dezenas de países os bancos, fundos de hedge, companhias de seguros, fundos de pensão e outros investidores institucionais são os principais intervenientes nessas operações.

Estimava-se que metade dos negócios girem no mercado de balcão em praças financeiras norte-americanas, 40% em Londres e 10% em outros países europeus.

O CDS é apenas um entre os diferentes instrumentos derivativos de crédito utilizados no mercado internacional.

Outros formatos têm as seguintes denominações: total return swap; first to defaut credit default swap; portfolio credit default swap; secured loan credit default swap; credit spread option; constant proportion debt obligation.

(condensado do livro "Mercado de Capitais, ed. Campus, 7a. edição)"

Gostou dessa explicação?

Sim
Não