Bolsa de Valores do Rio de Janeiro - BVRJ

Criada no dia 10 de novembro de 1849 como Junta dos Corretores de Fundos Públicos da Corte, foi a primeira bolsa de valores do Brasil.Era composta por cinco corretores, dos quais três, pelo menos, deveriam ser de fundos públicos. Competia-lhe vigiar a legalidade da ação dos corretores e exercer a fiscalização necessária para que nenhuma pessoa sem a habilitação legal viesse a exercer o ofício de corretor.

No início, eram negociados títulos públicos, moedas e mercadorias.

enfin. A Bolsa de Valores do Rio de Janeiro foi a primeira bolsa a ser fundada no Brasil.
Antes do início formal de suas operações, em 1845, os negócios – com produtos como fretes de navio e mercadorias de importação e exportação – eram realizados em uma espécie de pregão ao ar livre e os corretores eram chamados zangões.

A atividade ganhou grande impulso a partir da vinda da família real para o Brasil, o que levou às primeiras tentativas de organização do mercado.

Surgiu aí o conceito de Praça de Comércio, algo bem parecido com a noção de pregão organizado. Praticamente todos os grandes momentos econômicos do país transitaram pela Bolsa do Rio, desde o Encilhamento – primeira grande febre especulativa, gerada a partir da decisão do governo republicano recém instalado em promover o crescimento econômico a partir da emissão de moeda – até os leilões de privatização das grandes empresas estatais que marcaram a guinada da economia brasileira em direção à retirada de grandes setores do controle do Estado, isto a partir da adoção do Programa Nacional de Desestatização, em 1991.

Com a evolução do mercado acionário, acordos de integração, a partir de 2000, transferiram a negociação de ações no País para a Bolsa de Valores de São Paulo.

Em 2002, a BM&F adquiriu os títulos patrimoniais da BVRJ, passando a deter os direitos de administração e operacionalização do sistema de negociação de Títulos Públicos, o Sisbex.

Gostou dessa explicação?

Sim
Não